segunda-feira, janeiro 09, 2006


"Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.

Quero-te só porque a ti te quero,
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te,
como um cego."

Pablo Neruda

4 comentários:

Humberto Coelho disse...

Muito bom...
Beijinhos

Pablo Olivieri disse...

cem sonetos de amor, né?
lindo.
Abraço.

talvez um dia nos encontremos por aí disse...

sim é. lindo lindo lindo

Robin K disse...

Gosto de Neruda.
Venero Klimt.

Boa escolha.
Parabéns pelo blog e pelo aniversário.

Robin K