terça-feira, novembro 08, 2005


A Companhia do Chapitô tem vindo a desenvolver um trabalho social ligado às artes com crianças de rua que foi recentemente seleccionado por Bruxelas como o melhor projecto solidário pelo Solidar Silver Rose Awards 2005, que será entregue a Teresa Ricou.
O espaço do Chapitô é de acolhimento, de acompanhamento, de ponto de partida. Daí a vocação de trabalhar em parceria com os Ministérios da Justiça, da Educação, da Cultura, da Segurança Social, com o Instituto Português da Juventude e em rede com outras organizações que na sociedade civil estão a promover um trabalho de valorização do indivíduo.
A área Social do Chapitô apresenta um Centro de Acolhimento Infantil destinado aos mais novos, o projecto Animação em Acção que visa estimular os interesses culturais de jovens que se encontram sob a tutela da Justiça e o projecto Residência Aberta que acompanha a integração dos jovens na sociedade.
Deveriam existir mais Chapitôs no nosso país. Um projecto sólido de carácter cultural e social. Parabens Chapitôs!

1 comentário:

Carecones disse...

Pô, eu jurava que este tipo de problema social não existisse por aí...

Que coisa, é importante existirem projetos sociais deste tipo, mas é necessária uma melhor e mais justa distribuição da renda. Seja na esfera mundial como nas nacionais.
Quanto Pessoas, Vergílios, Picassos, Mozarts, Hendrixs, Maradonas, Joplins, e milhares de outros gênios estão se perdendo pelas ruas do mundo?
É, eu sei, um discurso repetido milhares de vezes... mas quem sabe um dia alguém escuta!
Abraço.